Em que pensas?

 

Pergunta o Facebook.

Em boa verdade, não estou a pensar em nada de especial. 

Estou a meditar.... 

Ou seja, tentar não pensar. 

Porém, vou partilhar o que acho lindo, no Alentejo da minh'alma. 

Gosto de partilhar algumas coisas de que gosto, mas nem tudo!! 

Ele há coisas, sentires, pensares, que não se partilham! São só meus.... Permitam-me a propriedade. 

Não é, obviamente, o que vos trago! 

Contemplemos as imagens destes templos alentejanos. 

Os azulejos, a talha dourada, a visão dos artistas sobre a vida monástica e as personagens eclesiásticas da nossa cultura. 

Quem disse que não há igrejas no Alentejo? 

Quem disse que os alentejanos não as preservam?

Falamos da igreja do Salvador e da igreja de Nossa Senhora da Assunção. 

Com o túnel que liga a igreja ao castelo, cheio de mistério e lenda.... 

Dias fantásticos, estes de Primavera e Outono, dentro e fora dos templos, com toda esta paz e silêncio, que se sente neste Alentejo que, não sendo profundo, nos faz aprofundar as memórias, os amores e os desamores. 

Tudo é maior e mais pequeno.... 

Tudo é mais quente e mais frio.... 

Tudo é mais perto e mais distante... 

Tudo é mais envolvente e mais solitário... 

Quase tudo é mais eu do que nós.... 

Quase tudo, neste Alentejo que me enfeitiça, me prende...

Sinto-me daqui, desde sempre! 

.....Um dia venho e não volto!!

Onde será que ele se esconde?

O céu e o mar são o cenário deste acontecimento. 

A bola de fogo, dizem, vai mudando a sua cor, dizem, vai escurecendo, dizem, laranja, dizem, vermelho, dizem, mergulha, vejo...

E fica.... breu!! 

Tudo fica breu, até o céu, até o mar, o cenário desaparece..... Parece! 

Mas está lá tudo e não se vê! 

Onde é que ele se escondeu? 

Sou eu que não o vejo? 

É ele que não está? 

Mas, dizem-me, desde sempre, que se escondeu, que foi dormir, que se deitou, será? 

Tudo muda.... Porque não o vejo e provoca a transmutação da minha realidade! 

Qual realidade? 

A minha! 

Pois, tal coisa não existe! 

Bem gostávamos que fosse real, realmente real, mas não é. 

O que vemos, ou achamos que vemos, não é! 

Pronto! 

E agora? 

A angústia que tal conclusão, implica?! É insuportável! 

É melhor voltar atrás, pensemos que..... ele foi iluminar outras paragens, amanhã está de volta, e tudo se voltará a repetir, uma e outra vez! 

Até que a morte, nos separe....